• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin

É importante conhecer e monitorizar as diversas características do nosso solo, facilitará na gestão do seu espaço. Se está ou vai iniciar o seu projecto, faça desde já uma análise ao seu solo e controle-o de 4 em 4 anos, será gratificante verificar a sua evolução nos diversos parâmetros analisados…

Onde e o que avaliar?

Normalmente quase todas as Escolas Agrárias ( Castelo Branco, Beja, Elvas etc…) têm um laboratório de solos onde pode mandar fazer a sua análise e deve rondar os 25€ (as mais simples), o Instituto de Agronomia em Lisboa e UTAD em Vila Real também têm o serviço, por isso não tem desculpa para não acompanhar a evolução do seu solo…

Pode analisar uma série de parâmetros, uns mais importantes que outros, contudo para quem está a começar e não tem grandes conhecimentos agronómicos deve ter atenção ao teor de Matéria Orgânica, Textura do solo, pH e quantidades extraíveis de Azoto, Fósforo e Potássio.

Matéria Orgânica

O teor de M.O é formada por todos os detritos decompostos e presentes no nosso solo, os valores abaixo dos 1.5% são considerados baixos e altos acima dos 3%. Quanto maior for o teor de MO no solo, maior é a sua capacidade de fornecer água, azoto e outros nutrientes às plantas. Trabalhe e aplique técnicas que induzam o aumento deste teor, certamente vai aumentar a sustentabilidade do seu solo.

Textura

O solo é caracterizado pela dimensão das suas partículas, de acordo com a sua presença e dimensão o solo pode ser caracterizado por textura grosseira, pesada ou média.
Uma textura grosseira corresponde a um solo mais leve, de partículas maiores, fácil de trabalhar em que domina a presença de areia. Já no solo de textura pesada, predomina a argila dificultando o seu cultivo.
Este parâmetro é também importante para responder ao quanto e quando regar. Nos solos de textura grosseira (mais areia) devemos optar por regas mais curtas e mais frequentes.

pH (reacção do solo)

O pH mede o grau de acidez ou alcalinidade do solo (0-14) e varia ao longo do ano, diminuindo no inverno e aumentando no verão dependendo da concentração de vários sais no solo. Grande parte das culturas prefere solos pouco ácidos a neutros (6 – 7) e reacções abaixo dos 5,5 de pH os microorganismos de solo não conseguem decompor a matéria orgânica.
Devemos assim corrigir o pH do nosso solo se este for muito diferente dos valores considerados ideais, para tal deve utilizar o calcário (para aumentar) ou o enxofre e o gesso (para diminuir) para corrigir a reacção do seu solo.

Azoto

O azoto é um constituinte fundamental da planta e a sua carência influência negativamente as produções. É absorvido pelas plantas essencialmente pelas raízes sob a forma nítrica e plantas como o Aipo, o Agrião, a Couve-de-bruxelas, a Couve Repolho, Couve-flor e os Brócolos são muito exigentes neste nutriente.
Em situações de carência podemos observar o amarelecimento das folhas mais velhas (importante para distinguir de todas outros sintomas de deficiência, sobretudo de enxofre).

O seu excesso manifesta-se na planta pelo maior vigor e folhas muito verdes e mais tenras logo menos resistentes ao ataque de insectos e fungos, para além de retardar a maturação/colheita da cultura.
O azoto está presente no solo e fica disponível às plantas através da lenta “decomposição” da matéria orgânica logo a sua quantidade no solo é calculada pela taxa de decomposição (mineralização) de cada tipo de solo, assim devemos compensar a extracção da cultura com introdução de técnicas que induzam o aumento da matéria orgânica e a sideração (enterramento adubo verde) joga papel importante na fertilidade do seu solo.

Fósforo

Absorvido em quantidades menores que o azoto, o fósforo é elemento essencial para o crescimento, interferindo nos processos energéticos da planta, induzindo a absorção de água e nutrientes do solo.
As deficiências de fósforo apresentam um tom arroxeado das folhas mais velhas. Quanto a excesso não existe sintomatologia.
O Aipo e a Couve Repolho são das culturas mais exigentes e ele (fósforo) deve rondar os 120 (ppm) na nossa análise de solo.

Potássio

O potássio não intervém na composição de substâncias vitais na planta mas entra na síntese desses mesmos compostos. A sua deficiência manifesta-se por manchas cloróticas nas margens das folhas levando esses tecidos à morte promovendo o acastanhamento do rebordo da folha. Quando em excesso, o potássio interfere na absorção de outros nutrientes como é o caso do Magnésio e do Cálcio.
Aipo, Couve Repolho, Endívias e Espinafres são das culturas mais exigentes em Potássio e no solo deve rondar os 120 ppm.

Check IT - Uma App para Ajudar na Sua Ho

Check It é uma App da Yara (fertilizantes) que vale ...

Onde Guardar as tuas Sementes...?

Pois é ... está na altura de recolher e guardar ...

Quando Deves Plantar Morangos...?

Queres plantar morangos na tua horta? Então... Antes de pores mãos-à-obra ...

Check IT - Uma App para Ajudar na Sua Ho

Check It é uma App da Yara (fertilizantes) que vale ...

Sabes Quando Tens o Composto Maduro?

Por vezes acontece termos o composto já maduro e continuamos ...

O Que Colocar na Pilha de Compostagem

Sabes o que podes Colocar na Pilha de Compostagem...? Sabias que ...